Dia sem carros e carros sem dia

Dia sem carros e carros sem dia

O primeiro Dia Europeu sem carros aconteceu em 2000. Estou certa que não me irei esquecer (até o Alzheimer aparecer) deste dia…a festa saiu para a rua no verdadeiro sentido da palavra. As ruas fechadas aos carros encheram-se de bicicletas, pessoas, crianças, jogos, conversas e convívio. Um dia diferente, dentro da semana de trabalho, mesmo que tenha sido só durante o intervalo do almoço, para alguns, ou ao final da tarde, para muitos.

Foi há 20 anos. O que mudou desde aí?

Há mais carros nas ruas e o número de bicicletas aumentou ligeiramente.

Será isto sinal que os objetivos deste Dia Europeu não foram conseguidos?

Este Dia pretende sensibilizar a população e autoridades para a necessidade de reduzir o tráfego rodoviário dentro das cidades, de forma a aumentar a qualidade de vida e garantir a sustentabilidade dos recursos naturais, optando por alternativas de transporte menos poluentes como os transportes públicos e bicicletas.

Apesar do atraso na mudança deste paradigma, este terá que ser obrigatoriamente o caminho do futuro. Se há setor em que teremos de agir, mudar, alternar, é no nosso modo de transporte. Isto porque já são demasiados os sintomas a pedir medicação. Não é só a questão das alterações climáticas, não é só a questão da qualidade do ar que respiramos e não é só a questão da dependência energética, é um todo necessário para a sustentabilidade futura das nossas cidades. Esta pandemia veio confirmar a ideia que tínhamos…. que o tráfego é a maior fonte responsável pelas concentrações de poluentes como o NOx e matéria particulada no ambiente urbano, tendo sido possível uma redução de mais de 50-60% no centro de algumas cidades durante os meses de confinamento. Uma melhoria da qualidade do ar jamais conseguida. Talvez um dos únicos benefícios da pandemia…mas muito importante, principalmente para os grupos de risco, que também o são neste contexto COVID.

As iniciativas neste Dia já fazem parte do calendário de muitas cidades e vilas por toda a Europa e também já noutros continentes sendo, este ano, o tema central “Emissões Zero, Mobilidade para todos”. Em Portugal, que participa na iniciativa europeia desde a primeira hora, tem havido todos os anos um grande movimento de adesão, não só por parte do público, como também das autarquias envolvidas. Este ano 44 municípios aderiram a esta iniciativa. Ok, Aveiro não está na lista, mas não precisamos de estar no mapa para comemorarmos e tornamos este dia diferente. Podemos agir e ser agentes e exemplos da mudança sozinhos, com amigos ou vizinhos. A verdade é que são já vários os casos em que um grupo de cidadãos tornou este dia numa festa de cidadania, num dia diferente para todos, com memórias e exemplos para os mais novos porque a ação será sempre a melhor forma de aprendizagem para eles.
Mas mais do que fazermos a festa num dia, seria fazer a diferença e ter razões para comemorarmos todos os dias! Isso, aliado a uma melhor preparação física, a poupanças no ginásio, e no combustível também, teríamos ainda mais razões para festejar…

E de certo com aplausos da DGS!

Alexandra Monteiro